Sexta-feira, 4 de Junho de 2004

Uma simples carta


Na verdade, a net é um mundo novo, curioso, cativante e diferente; é também
doce mas, ao mesmo tempo, perigoso. Perigoso porque os sentimentos podem ser
"adulterados" na sua essência e serem mal compreendidos.
Não devemos descurar o mundo "lá de fora", o mundo real, aquele que vivemos de
verdade e na verdade; é certo, que aqui, através do anonimato deixamos que os
nossos medos se transformem em coragens e os nossos gritos possam ser gritados
bem lá do fundo da nossa Alma.
Este mundo serve para exorcizar os nossos "demónios", mas serve também para
encontrarmos novos demónios e novos anjos; o problema está sempre em saber o
que é um anjo e o que é um demónio (tudo em sentido figurado, claro).
Eu escolhi uma forma de estar aqui, a de dizer apenas; a de ouvir apenas; a de
tentar ajudar apenas; a de responder apenas; a de querer que todos me leiam e
me ouçam apenas; a de desejar tudo de bom para todos apenas. E este "apenas"
já é muito neste mundo.
Deixamos aqui impressa a nossa marca de ser que vive e que ri e que chora;
deixamos aqui impressa a nossa marca de ser que é e de ser que não é;
deixamos aqui impressa a nossa marca de ser o que sempre desejamos ser e não o
que somos afinal. É um pouco uma peça de teatro sem actores visíveis.
Às vezes, estes actores encontram-se e criam-se novas vivências.
Umas vezes é bom, outras não.
Umas vezes é um doce, outras vezes é um amargo sabor.

Daí que, eu seja uma "personagem"; uma segunda personalidade de alguém que
também anda por estas bandas sob outro nick; talvez o outro lado desse alguém que sabe o que é a vida e o que ela pode dar ou tirar;
de alguém que já não pretende nada mais do que tentar compreender
exactamente o que está cá a fazer; esse que, no fim, quererá "achar ter entendido".

Os problemas de que falas são problemas perante os quais nada podemos
fazer; apenas podemos dar amor e querer amor.
O caminho (seja de quem for) é para ser percorrido; seja que caminho for; não o podemos alterar nunca.
A meta existe mas nunca sabemos qual é; o caminho é muito diverso mas tem de ser
palmilhado; deixemos que todos palmilhem a rota que escolherem; não tentemos
que a vida seja perfeita; aceitemos a vida tal como ela é; não se consegue
alterar o que quer que seja; ela está já "escrita", não um destino escrito
mas o caminho para lá está.

As "coisas" não são nunca "obtidas".
As "coisas" são-nos "entregues".

Saibamos viver o que a vida nos dá, da forma que ela nos dá, da forma como
ela se nos entrega de braços abertos; mergulhemos de alma e coração na
caminhada que temos pela frente e esperemos que a "perfeição" esteja no
caminhar e não no caminho que se percorre ou na meta que se alcança.

indeterminado por quim às 12:21

link do post | favorito
De Cruz a 4 de Junho de 2004 às 13:46
Rendição

Há tempo, que tempos ,
Só o tempo saberá,
Rendi-me a ser corpo
E viajei nesta dádiva única
Com que nasci.
Assim me fui despindo
E descobrindo
E de tudo beleza colhi.
Entreguei-me ao amor ,
Sem condições das razões,
Razão porque estou aqui.
Olhei pontes não visíveis,
Vistas nos olhares do coração,
Entre tempos infindáveis,
Entre projectos individuais
E processos globais,
Entre desejos , sonhos,
Evoluções , mutilações,
Realizações e frustrações.
Todas as pontes onde andei
Me deixaram neste lugar,
Indefinido por indefinível.
Atlântida no nosso íntimo,
Onde o que aparenta não sentir
É serenidade de inclusão dos sentires,
Na organização
Da ausência de poderes.
Rendida a um tempo,
Pleno de invisíveis companheiros,
Que atravessa todos tempos relativos,
Onde acasos e necessidades não há
No bem querer viajar.
Em que os silêncios,
Entre o som dos ruídos,
Revelam que são perpétuos os sons
Das vozes
Na ausência do silêncio .
Em que na inconstância
Do que se olha
A única constância
É o movimento perpétuo
Da permanente inconstância.
Entre um tempo e todos os tempos
É eterna a ponte de todas as pontes.

.......... São árduos os caminhos da paz, e a beleza do caminho é o próprio caminhar. Um abraço
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 


.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.últimas indeterminações

. eu

. floresta

. Saudade

. Aniversário

. Amar como o vento

. Gostoso

. Solidão

. Gostos

. Não sou aquário de signo,...

. pormenor

.torres do tombo

. Outubro 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

. Dezembro 2003

. Novembro 2003

blogs SAPO

.subscrever feeds