Segunda-feira, 22 de Dezembro de 2003

Jorge Arrimar

"Despedida"
Tu vais para o outro lado
do oceano que esconde o mito,
vestida de incertezas, inacabado
poema que se liquefaz em grito
Lá te espera o espinho e a flor,
a aurora de um tempo velho e novo
que modelas nos teus lábios com o sabor
da chaga que se consome num sorvo.
Procuras-te no insondável espelho
dum passado que se redescobre feito.
Amanhã o gesto estagnado e velho
renascerá puro em antigo leito.
Vai, que ao ires também ficas
em nós, porque te soubeste dar...
Vai, que ninguém vai para sempre,
se como tu se deixou ficar...


from: Jorge Arrimar

(enviado por raposa@sapo.pt)
indeterminado por quim às 10:47

link do post | indetermine | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.últimas indeterminações

. eu

. floresta

. Saudade

. Aniversário

. Amar como o vento

. Gostoso

. Solidão

. Gostos

. Não sou aquário de signo,...

. pormenor

.torres do tombo

. Outubro 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

. Dezembro 2003

. Novembro 2003

blogs SAPO

.subscrever feeds